quinta-feira, 27 de junho de 2013

Zezinho Albuquerque assume interinamente o Governo do Estado



Durante esse período, o vice-presidente da Casa, deputado Tin Gomes (PHS), presidirá interinamente o Parlamento cearense.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Albuquerque (PSB), assume, nesta quarta-feira (26/06), o Governo do Estado do Ceará, em decorrência da viagem do governador Cid Gomes (PSB) e do vice-governador Domingos Filho (PMDB) ao exterior, para missão oficial. Durante esse período, o vice-presidente da Casa, deputado Tin Gomes (PHS), presidirá interinamente o Parlamento cearense.

O governador Cid Gomes viaja para Itália, onde assina, nesta quinta-feira, em Roma, o contrato de financiamento de US$ 40 milhões junto ao Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), com contrapartida de US$ 40 milhões do Tesouro Estadual (total equivalente a R$ 162,2 milhões). O dinheiro será aplicado entre os anos de 2013 e 2019 em ações para reduzir a pobreza rural no semiárido cearense no âmbito agrícola e não agrícola, com foco principal em jovens e mulheres. O empréstimo recebeu o parecer favorável do governo federal.

Na sexta-feira (28), em Pistoia, na Itália, ele visita a empresa Ansaldo Breda, fornecedora dos trens da Linha Sul do Metrô de Fortaleza. Há perspectiva de que novos trens sejam contratados para reforçar os serviços de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Fortaleza.

Aprovado projeto que transforma corrupção em crime hediondo

Acusados de letargia, corrupção e indiferença aos anseios do povo, o Congresso Nacional, o Governo e até o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovaram um recheado “pacote de bondades”. A pressão das ruas já fez com que pelo menos seis itens da pauta dos manifestantes fossem atendidos. Ontem, o Senado aprovou projeto que torna corrupção crime hediondo e, na Câmara, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) decidiu acabar com o voto secreto na análise de cassações de mandato.
Com a conversão da corrupção em crime hediondo, os condenados perdem direito a anistia e pagamento de fiança para deixarem a prisão, além de terem mais dificuldades para conquistar liberdade condicional e redução de pena. Já a decisão da CCJ dá mais transparências às votações de cassação. Da forma como funciona hoje, o eleitor não sabe se o parlamentar votou contra ou a favor de político condenado por crime.
As duas decisões ocorreram em dia de jogo da seleção brasileira, quando a maior parte do País dá uma pausa nos trabalhos. Mas, em clima de “agenda positiva”, os congressistas quiseram mostrar serviço. Na véspera, a sessão na Câmara já havia se estendido até a madrugada, com a votação que enterrou a PEC 37 e definiu a distribuição dos royalties do petróleo.
O STF também quis mostrar eficiência, ao determinar ontem a prisão do deputado Natan Donadon (PMDB-RO), acusado de desviar R$ 8,4 milhões da Assembleia de Rondônia em 2010. Isso sem contar com o aceno da presidente Dilma Rousseff (PT) de tocar a reforma política, que há mais de 15 anos permanece largada nas gavetas do Congresso.
Reação do povo
Cearenses que engrossaram o caldo das manifestações consideram as vitórias, mas com olhares de desconfiança. “Parece oportunista. É uma forma de aparecer bem em um momento de crise, para ficar bem na fita”, avaliou Eliana Braga, fundadora do grupo Fortaleza Apavorada, que reivindica melhorias na segurança pública do Estado.

O “pacote de bondades” surge como teste de fogo para os movimentos, que terão de traçar estratégias para que a agitação popular não perca fôlego. A lista de anseios ainda é extensa: inclui o fim do projeto da “cura gay”, mais medidas de combate à corrupção, redução nas tarifas de passagens e outras dezenas de pontos. O desafio está lançado.
“O sentimento é de permanecer com os protestos. Não sei o sentimento geral, das pessoas que vão de vez em quando. Mas para quem está comprometido, essas vitórias são um estímulo”, diagnosticou Valéria Pinheiro, membro do Comitê Popular da Copa, entidade que participa da onda de manifestações.
Quando
ENTENDA A NOTÍCIA
A onda de protestos que começou há quase três semanas no Brasil é a mais importante dos últimos anos, por ter movimentando várias regiões do País. O mote foram os gastos com a Copa.
Saiba mais
Transformar corrupção em crime hediondo: o projeto foi aprovado ontem no Senado e agora segue para análise da Câmara. Além de perder benefícios como o direito a pagamento de fiança para deixar a prisão, os crimes hediondos são considerados gravíssimos pela legislação, que classifica os agentes como insensíveis ao sofrimento físico ou moral da vítima.
Fim do voto secreto para análise de cassação: foi aprovado ontem na CCJ da Câmara, mas passará por uma comissão especial que ainda precisa ser criada e, depois, por dois turnos de votação no plenário da Casa, precisando de 308 votos para ser confirmada.
Prisão imediata de deputado condenado: também ontem, o STF pediu a prisão do deputado Natan Donadon (PMDB-RO), condenado a 13 anos e 4 meses de prisão por formação de quadrilha e peculato. Para evitar impasses judiciais, a Câmara deverá dar início ao processo de cassação do parlamentar. O presidente da Casa, Henrique Alves (PMDB-RN), prometeu agilidade
PEC 37: a proposta que retiraria poder de investigação do Ministério Público foi derrubada na última terça-feira pela Câmara.
Royalties do petróleo: a Câmara decidiu que 75% dos recursos serão gastos com educação e 25% com saúde.
Reforma política: aguardada por mais de uma década, a definição de um novo sistema eleitoral poderá ser feita através de plebiscito.
FONTE: O Povo Online.

Estudantes têm até essa quinta para se inscrever no ProUni



O prazo para inscrições no Programa Universidade para Todos (ProUni) termina nesta quinta-feira (27) às 23h59. As inscrições devem ser feitas no site do programa. Inicialmente, o prazo final era o dia 25, mas o Ministério da Educação prorrogou a data. O Prouni oferece bolsas em instituições particulares de ensino superior.


Datas de divulgação dos resultados também foram alteradas Foto: Natinho Rodrigues

Pode se inscrever o estudante que tenha feito a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas. O candidato não pode ter zerado a redação e deve ter cursado todo o ensino médio na rede pública ou ter tido bolsa integral em escola particular.

Com o adiamento da data para inscrições, o calendário do ProUni foi modificado. O processo terá duas chamadas. O resultado da primeira será divulgado no dia 30, e não mais no dia 28, pela internet. Do dia 1º de julho ao dia 8, o estudante pré-selecionado deverá comparecer à instituição de ensino para comprovar as informações prestadas no momento da inscrição, providenciar a matrícula e, se for o caso, participar de seleção própria da escola.

O resultado da segunda chamada foi transferido para o dia 16 de julho. O estudante terá de 16 a 22 desse mês para comprovar as informações e providenciar a matrícula.Os candidatos não selecionados nessas etapas podem aderir à lista de espera de 26 a 29 de julho. Eles começarão a ser convocados em 2 de agosto.

Nesta edição, serão oferecidas 90.045 bolsas - dessas, 55.693 integrais e 34.352 parciais, no valor de 50% da mensalidade. As bolsas integrais são para os estudantes com renda bruta familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais são destinadas aos candidatos com renda bruta familiar de até três salários mínimos por pessoa.


FONTE: Diário do Nordeste.

Cid Gomes quer incluir polêmicas locais em plebiscito




O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), quer aproveitar o possível plebiscito do governo federal sobre reforma política para também fazer um plebiscito estadual sobre reivindicações dos protestos das últimas semanas.

Os temas ainda seriam definidos, mas Cid já prometeu a manifestantes a realização de plebiscitos para saber se a população é a favor de determinadas obras do Estado. Eles reclamam, nos protestos, que o governo gasta demais com obras “faraônicas”.

Uma das obras mais criticadas pelos manifestantes é o Acquario Ceará, um mega-aquário com apelo turístico e custo de R$ 270 milhões. Outra é a ponte estaiada sobre o Rio Cocó. Teme-se fortes impacto ambientais.

A construção do aquário já está em andamento, mas manifestantes afirmaram, após uma reunião com o governador na semana passada, que cobrarão uma consulta popular sobre o investimento.

“Aproveitando a data que ficar definido um plebiscito nacional, eu vou pedir aqui o apoio da Assembleia para propor plebiscitos e referendos em questões estaduais e vou estimular também que os municípios façam o mesmo em questões municipais”, disse o governador, via assessoria de imprensa. Cid ainda não teve uma conversa formal com os deputados estaduais para definir os temas a serem submetidos a consultas populares.

O governador viajou ontem para a Itália para tratar de um contrato de financiamento para ações contra a seca, por isso só deve começar a se dedicar à questão do plebiscito na próxima semana. A ideia do plebiscito estadual é que, caso se confirme o plebiscito nacional, os Estados possam inserir nas urnas questões específicas às suas realidades.

Participação direta


Na avaliação de Cid, cresceu o desejo de participação política direta da população. “As pessoas estão meio incrédulas em relação ao modelo representativo político atual”, afirmou. Por isso, o governador cearense diz que sugeriu à presidente “que lançasse mão, ao máximo, dos recursos de democracia direta, que são os plebiscitos e referendos, e é isso que vou propor aqui”.

Cid afirma apoiar as medidas anunciadas pela presidente Dilma Rousseff para conter a onda de protestos.

Seu governo já definiu que vai apresentar três projetos de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), no valor total de R$ 2,1 bilhões, ao Pacto Nacional da Mobilidade Urbana, anunciado por Dilma. (da agência Folhapress)

Por quê
ENTENDA A NOTÍCIA

O Ceará, a exemplo de quase todo o País, virou palco de uma série de protestos com demandas múltiplas.Entre elas, a não construção de obras consideradas desnecessárias para o momento, como o Acquario e a ponte estaiada.

FONTE: O Povo Online.

Canhão de som com poder de efeito moral pode ser utilizado contra manifestantes em Fortaleza



Um canhão de som é utilizado, em fase de teste, pela Guarda Muncipal de Fortaleza durante as manifestações marcadas para a manhã desta quinta-feira (27). Devido à alta potência e nitidez do canhão, que está posicionado em uma barreira de verificação veicular na Avenida Juscelino Kubitschek, o equipamento tem como intuito principal a comunicação e negociação com os manifestantes a uma distância de até 1 km, segundo informou Antônio Azevedo Filho, diretor da Guarda Municipal.

Arma já é utilizada em alguns países, como na Rússia, para controlar manifestações. Foto: Reprodução

Apesar da sua função principal ser para comunicação, o equipamento pode emitir um ruído ensurdecedor contínuo, exercendo um efeito moral contra os manifestantes. "O equipamento foi testado a menos de 20 metros no volume máximo em mim mesmo, em inspetores e em guardas. Depois do teste não sentimos nenhum efeito como ânsia de vômito ou náuseas", ressalta o diretor.

O canhão foi cedido pela empresa Megatech ltda, representante nacional da fabricante do equipamento em solo nacional, e nenhum valor foi pago pela Prefeitura de Fortaleza para obter o canhão, segundo o diretor. Ainda segundo Antônio Azevedo, o equipamento esteve à disposição da Guarda no último domingo (23) durante o jogo entre Espanha e Nigéria, entretanto, não foi necessário a sua utilização.

Sobre a capacidade de comunicação do canhão, o diretor afirma que a utilização do equipamento pode evitar confrontos entre os manifestantes e o Batalhão de Choque da Polícia Militar. "Podemos convocar uma comitiva para que o problema seja solucionado através do diálogo, além de alertar para que a multidão não realize atos de vandalismo", explica Antônio Azevedo.

O diretor ainda destaca que, mesmo com a emissão do ruído, o equipamento não provoca danoà audição ou à saúde dos manifestantes. De acordo com o comandante do Grupo de Operações Especiais da Guarda Municipal, inspetor Luís Valdeci da Silva, o equipamento também é utilizado em navios para comunicação, em caso de emergência, entre embarcações.


FONTE: Diário do Nordeste.

Deputado Donadon não se entrega e PF realiza buscas

Deputado Natan Donadon PMDB/RO



A Inteligência da Polícia Federal foi acionada nesta quinta-feira para monitorar aeroportos e estradas do país e realizar novas buscas em possíveis endereços do deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO). O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta quarta-feira a prisão imediata do deputado, condenado a treze anos, quatro meses e dez dias, em regime inicialmente fechado, pelos crimes de formação de quadrilha e peculato. É o primeiro caso em que um parlamentar no exercício do mandato tem a prisão determinada pelo STF desde a Constituição de 1988.

Donadon não cumpriu acordo de se entregar na manhã desta quinta-feira à Polícia Federal conforme combinado, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo. Na noite desta quarta, agentes da PF estiveram no apartamento do parlamentar em Brasília. Em Rondônia, policiais também foram acionados para tentar localizá-lo.

O mandado de prisão imediata de Donadon foi expedido pela ministra do STF Cármen Lúcia. Por volta das 17h15 desta quarta, ela encaminhou o ofício para juiz de direito da Vara de Execução Penal da Circunscrição Judiciária de Brasília. Ela também remeteu ofício avisando da medida ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e um mandado de intimação tendo como endereço o gabinete do parlamentar.

Irmão - Horas antes de o STF decidir pela prisão de Natan Donadon, o irmão dele, Marcos Donadon, foi preso em Porto Velho pela Polícia Civil. Deputado estadual pelo PMDB, Marcos Donadon foi condenado a oito anos de prisão pelo desvio de 8,4 milhões de reais da Assembleia Legislativa de Rondônia quando a Casa foi presidida por ele nos anos 90. À época, seu irmão Natan era diretor financeiro da Casa.
FONTE: VEJA.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Câmara derruba PEC que tentava limitar o poder de investigação do MP

Deputados no plenário da Câmara durante a sessão de votação da PEC 37 (Foto: Luis Macedo / Agência Câmara)


A Câmara dos Deputados derrubou nesta terça-feira (25), por 430 votos a nove (e duas abstenções), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que impedia o Ministério Público de promover investigações criminais por conta própria (veja como cada deputado votou).

O texto da chamada PEC 37 (entenda) previa competência exclusiva da polícia nessas apurações. Com a decisão da Câmara, a proposta será arquivada.


Pela proposta de alteração na carta constitucional, promotores e procuradores não poderiam mais executar diligências e investigações próprias – apenas solicitar ações no curso do inquérito policial e supervisionar a atuação da polícia. A rejeição da proposta era uma das reivindicações dos protestos de rua que se espalharam em todo o país.

Antes de iniciar a votação nominal, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDBx-RN), fez um apelo para que a proposta que limita o MP fosse derrotada por unanimidade.

“Tenho o dever e a sensibilidade de dizer a esta casa que todo o Brasil está acompanhando a votação desta matéria, nesta noite, no plenário. E por isso tenho o dever e a sensibilidade de declarar, me perdoe a ousadia, que seria um gesto importante, por unanimidade, derrotar essa PEC”, disse.
Tenho o dever e a sensibilidade de declarar, me perdoe a ousadia, que seria um gesto importante, por unanimidade, derrotar essa PEC."
Deputado Henrique Alves (PMDB-RN), presidente da Câmara

A votação foi acompanhada por procuradores e policiais, que ocupavam cadeiras na galeria do plenário da Câmara. Conduzidos pelo líder do PSDB, Carlos Sampaio (SP), promotor de Justiça licenciado, parlamentares tucanos ergueram cartazes no plenário contra a PEC 37. As cartolinas estampavam “Eu sou contra a PEC 37. Porque não devo e não tenho medo da investigação. A quem interessa calar o MP?”, indagava o manifesto.

Ao abrir a sessão extraordinária, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou que era necessário votar a PEC 37, mesmo sem acordo.

“Lamentavelmente chegamos a 95% de acordo. Faltaram 5% para concluirmos um texto. Esta Casa demonstrou sua vontade de estabelecer um perfeito entendimento entre o Ministério Público e os delegados. Mas na hora que não foi possível, isso não poderia ser pretexto para não votar a PEC. Ela não poderia ficar pairando”, disse.
saiba mais

Henrique Alves disse ainda “ter certeza” de que os parlamentares voltariam a proposta pensando no que seria melhor para o país.“ Tenho certeza de que cada parlamentar estará votando de acordo com a sua consciência, para o combate à corrupção, o combate à impunidade”, disse

Em discurso no plenário, o líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente (RJ), destacou o papel das manifestações populares na derrubada da PEC 37. “Lá na CCJ da Câmara a maioria dos deputados era a favor da PEC 37. A maioria desse plenário era a favor da PEC 37. [...] Essa PEC vai ser derrubada pelo povo nas ruas”, afirmou.

Todos os partidos orientaram as bancadas para rejeitar a proposta. “A bancada do Democratas vai votar em sua ampla maioria, senão na sua totalidade, para derrotar a PEC 37. Mas aos colegas que votarem favoravelmente a ela, o meu respeito, porque eu respeito qualquer parlamentar no momento da sua decisão e votação”, disse o líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO).
Queremos dar uma resposta à sociedade, uma resposta às ruas. Não queremos que nenhuma criminalidade fique sem investigação."
Deputado Eduardo Cunha (RJ), líder do PMDB na Câmara

Ao defender a rejeição da PEC 37, o líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), afirmou que o partido quer dar uma reposta às manifestações.

“Ninguém quer acabar com o poder de investigar. Todos nós queremos que todos investiguem. Queremos dar uma resposta à sociedade, uma resposta às ruas. Não queremos que nenhuma criminalidade fique sem investigação”, afirmou.

Autor da PEC lamenta 'rótulo'
O autor da proposta, deputado Lourival Mendes (PTdoB-MA), foi o único a defender o texto no plenário. Ele afirmou que a PEC 37 foi rotulada de forma “indevida” como sinônimo de “impunidade”.

“Essa PEC tramitou nesta Casa com 207 assinaturas, foi aprovada na CCJ [Comissão de Constituição e Justiça], foi aprovada na comissão especial. Lamentavelmente, num acidente de percurso, a PEC foi rotulada e alcançada por um movimento que nada tem a ver com sua propositura. Não é verdadeiro o rótulo de impunidade da PEC”, afirmou.

FONTE: G1

Câmara destina 75% dos royalties para educação e 25% para saúde

Os deputados federais aprovaram na madrugada desta quarta-feira (26) o projeto de lei que destina à educação pública recursos obtidos por União, estados e municípios com os royalties do petróleo e do gás natural e também com as participações especiais na extração petrolífera. O texto do projeto segue agora para apreciação do Senado.
Um acordo construído entre a base aliada e a oposição alterou a proposta original do governo, que previa o repasse integral (100%) desses recursos para a área educacional. No encontro de segunda (24) com governadores e prefeitos, em que anunciou cinco pactos nacionais (um deles pela educação), a presidente Dilma Rousseff disse que confiava na aprovação pelos parlamentares dos 100% para a educação.
O texto substitutivo apresentado pelo relator da proposta, deputado André Figueiredo ( PDT -CE), acolheu uma emenda sugerida pela liderança do DEM que obriga as três esferas públicas a aplicarem 75% dos royalties na educação e 25% na saúde. Figueiredo decidiu incorporar a emenda com o novo critério de  distribuição para evitar que seu texto fosse derrubado por um acordo que estava sendo costurado entre governistas e oposicionistas.
Contrariado com parte das alterações propostas pelo relator, o líder do governo na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia ( PT -SP), advertiu os colegas de Legislativo que não há compromisso do Palácio do Planalto de sancionar as modificações promovidas de última hora no projeto.
Além de mexer no destino final do dinheiro, o substitutivo de André Figueiredo ampliou o valor a ser investido nessas áreas com recursos de parte dos contratos em vigor. O Planalto, entretanto, pretendia destinar somente recursos de contratos futuros.
Parlamentares oposicionistas e até mesmo da base aliada reclamaram em plenário que, de acordo com o texto do governo, os primeiros recursos dos royalties na educação começariam a ser aplicados somente daqui a dez anos.
A proposta do governo era destinar para a educação as receitas decorrentes dos contratos assinados a partir de 3 de dezembro de 2012.
Mas o relator do projeto modificou essa previsão, obrigando inclusive o repasse de recursos oriundos de contratos anteriores – desde que esses campos tenham entrado em operação comercial depois de 3 de dezembro de 2012.
Ou seja, se a comercialidade do poço petrolífero foi declarada depois de 3 de dezembro do ano passado, os royalties gerados por essas estruturas – ainda que os contratos tenham sido assinados antes – serão aplicados na educação e na saúde.
Fundo Social 
Além das receitas dos royalties, o substitutivo do parlamentar do PDT garantiu que 50% dos recursos recebidos pelo Fundo Social – uma espécie de poupança formada por recursos que a União recebe na produção do petróleo da camada pré-sal – serão destinados para a educação.
Na proposta original do governo, a receita viria de contratos futuros e apenas seriam aplicados em educação metade dos rendimentos de investimentos feitos com o dinheiro do Fundo Social, poupança criada no marco regulatório do pré-sal.
Em seu relatório, Figueiredo fez uma estimativa da diferença de recursos que serão encaminhados para educação e saúde com as modificações no texto elaborado pelo governo.
Nas contas do deputado, com a proposta do Planalto, a verba que seria destinada à educação poderia alcançar R$ 25,80 bilhões nos próximos 10 anos, considerando-se a cotação do barril de petróleo em US$ 100. Já os critérios aprovados pela Câmara, segundo ele, devem assegurar cerca de R$ 280 bilhões para as duas áreas na próxima década.
Da tribuna, o relator do projeto defendeu o aporte de recursos que, segundo ele, o substitutivo garantirá para educação e saúde.
“Como está no texto da presidente seriam destinados para a educação 50% do retorno financeiro do fundo do pré-sal, ou seja, metade dos juros. Isso daria um valor ínfimo. Estamos falando de um aporte de R$ 25,8 bilhões em dez anos. Na forma como está o meu substitutivo, o aporte será de R$ 280 bilhões em dez anos”, disse.

sábado, 22 de junho de 2013

Final de semana começa com grave acidente envolvendo ônibus de turismo de Belém



BELÉM X FORTALEZA
Viagem interrompida

Acidente grave com ônibus de turismo deixa vítimas fatais na BR222, no Ceará, nesta madrugada de sábado 22.

A tragédia envolvendo um ônibus de turismo que vinha de Belém para Fortaleza, aconteceu por volta das 03h00 da manhã deste sábado 22, entre os municípios de Forquilha e Irauçuba, no quilômetro 182 da BR 222, no Norte do Ceará. O ônibus da empresa Expresso Lobato, de placas OFR 5799, que transportava 52 passageiros vindos de Belém do Pará, sobrou numa curva e desceu uma ribanceira, não chovia no momento do acidente e segundo relato de passageiros, o motorista andava com excesso de velocidade. Cerca de sete passageiros morreram no local do acidente, cinco corpos ficaram presos nas ferragens e precisaram ser retirados pelo Corpo de Bombeiros de Sobral. A excussão que partiu de Belém às 01h00 desta madrugada, transportava sacoleiros que iam fazer compras no Mercado Central, em Fortaleza.



Policiais Militares e para-médicos do SAMU também participaram da operação de resgate das vítimas, cinco ambulâncias atenderam os feridos que foram levados para a Santa Casa de Sobral. O tacógrafo (equipamento que registra a velocidade do veículo), foi retirado pela perícia e entregue a Polícia Rodoviária Federal, que vai verificar a velocidade do ônibus no momento do acidente.

Segundo a PRF, um caminhoneiro assinou testemunho de que o motorista disputava velocidade com outro ônibus. A lista de passageiros indica alguns que não embarcaram por desistência da viagem e outros que decidiram ir de última hora, o motorista que dirigia no momento do acidente também foi socorrido, mas não sofre risco de morte.

A sinalização precária também pode ter contribuído para o acidente desta madrugada, no km 183 da BR 222. Segundo o motorista reserva, o companheiro cochilou quando entrou na curva e sobrou, tombando numa altura de aproximadamente quatro metros. Seis pessoas morreram no local do acidente, 21 estão em atendimento médico na Santa Casa de Sobral, alguns passageiros já estão retornando para Belém e os corpos devem ser liberados para sepultamento nas próximas horas.

Veja a seguir, lista completa dos passageiros:

Motoristas:

José Corpes de Oliveira

José Maria Cardoso de Souza



Adelson de Lima de Oliveira

Aderson Braga Neri

Alda Maria de Souza Rodrigues

Alda Maria Lima de Freitas

Ana Lúcia de Oliveira Guedes

Ana Maria Pantoja de Lima

Anderson Luiz Coutinho

Ângela Braga Neri

Antônia Maria Barbosa Evangelista

Benedita Euziel Ponte Aquino

Betânia dos Prazeres David

Camila Messias Oliveria

Cleide Teixeira Amaral

Cleidinei Soares Guimarães

Cleonira Meireles Silva

Clezionete Carvalho Lima

Diele de Fátima Rodrigues

Dircicléia Albuquerque Borges

Dircinha Pires de Moraes

Edileuza do Socorro S. Pinheiro

Edineuma Costa Moraes

Elenice do Socorro de Souza Pereira

Eliane de Araújo Maia

Eliane do Socorro Bitencourt

Elizete Viana

Eunice Maues Costa

Fernanda Andréia de Souza Dias

Graciete do Socorro F. da Silva

Jamila Messias Oliveira

José Augusto Ferreira Frazão

Lucirene Rosa Ferreira

Luis Carlos Oliveira da Silva

Maria da Conceição Maues da Costa

Maria Isabel dos Santos Ferreira

Maria Madalena Bitecourt Vilhena

Maria Nete Nascimento Macedo

Maria Rita de Oliveira Cardoso

Marinilva Gomes de Lima

Marlene Ferreira Pinheiro

Neuma Lucia Oliveira Barbosa

Neuza de Souza Rodrigues

Roberto Teixeira da Silva

Rosete Batista de Amaral

Rosimere da Conceição Jade

Ruth Carolina Vieira das Chagas

Sabrina Souza de Lima

Silvia Cristina da Silva Bezerra

Sônia Maria Pimentel

Suelen Maria de Souza

Sueli Rodrigues dos Santos

Sulen Freira Vieira

Tânia Maria Ramos Oliveira


Todos de Belém do Pará


Expresso Lobato Transportes e Turismo LTDA

Placa OFR 5799 / Ananideua-PA

FONTE: Wellington Macedo
Repórter Fotografico

Groaíras, através da Escola Nossa Sra. do Rosário recebe Prêmio Escola Nota 10


O município de Groaíras, através da Escola Nossa Senhora do Rosário, recebeu nessa sexta-feira(21) O Prêmio Escola Nota 10.

Encerrado a premiação a equipe foi convidada pelo prefeito Adail Melo para um almoço em seu restaurante na Beira-mar em comemoração.

Em junho de 2009, com o objetivo de fortalecer, valorizar e ampliar o trabalho que vem sendo empreendido pelas escolas em relação aos resultados de alfabetização, o Governo do Estado, por meio da SEDUC, instituiu o “Prêmio Escola Nota Dez”, através da Lei 14.371, de 19 de junho de 2009.

A Lei prevê que o prêmio é destinado para até 150 (cento e cinquenta) escolas públicas que apresentarem os critérios de: (I) ter pelo menos 20 (vinte) alunos matriculados no 2º ano do ensino fundamental regular; (II) ter o Indicador de Desempenho Escolar de Alfabetização/ IDE-Alfa situado no intervalo entre 8,5 e 10,0. Além disso, garante contribuição financeiro até 150 escolas com menores IDE-Alfa.

Em 06 de dezembro de 2011 foi aprovada a Lei Estadual 15.052, que disciplina o Prêmio Escola Nota Dez e revogada a legislação anterior, a nova legislação determina que a cada ano serão premiadas até 150 escolas públicas do segundo ano e até 150 escolas pública do quinto ano do Ensino Fundamental, também serão beneficiadas as escolas públicas em igual número das premiadas as que obtiveram menores resultados nas avaliações do SPAECE do segundo e quinto anos.

O prêmio funciona:

  • Como política indutora para as escolas melhorarem seus resultados;
  • Como política apoiadora às escolas com menores resultados;
  • Está subsidiado em um modelo a aprendizagem institucional focado na disseminação de boas práticas de gestão e pedagógica;
  • Fortalecer a melhoria da qualidade na aprendizagem dos alunos do 2º e 5º anos do ensino fundamental da rede pública.



FONTE: BLOG DA pREFEITURA

STF gasta R$ 90 mil em reforma para Joaquim Barbosa


O STF (Supremo Tribunal Federal) gastará R$ 90 mil para reformar, com material de "primeira qualidade", os quatro banheiros do apartamento funcional que o presidente da corte, Joaquim Barbosa, ocupará a partir de julho.

O presidente do STF decidiu mudar do apartamento funcional que já ocupa na Asa Sul, em Brasília, para um mais amplo, de 523 metros quadrados, na mesma região.

A futura residência do ministro, com cinco quartos, quatro salas, biblioteca e adega, era ocupada até o final do ano passado pelo ministro Ayres Britto, que se aposentou do STF em novembro.

Do total da obra, R$ 78 mil serão pagos à empresa que venceu um pregão eletrônico na semana passada e outros R$ 12 mil sairão de contratos com outras empresas já em andamento, na instalação de vidros, espelhos e uma banheira, que será adquirida, segundo o STF, com recursos próprios de Barbosa.

O primeiro valor equivale ao custo total da construção de uma residência de 32 metros quadrados do programa Minha Casa Minha Vida.


O edital do pregão prevê a aquisição de 23 peças em mármore e granito por R$ 15,5 mil. Um terço desse valor irá para uma prateleira e uma bancada. Assento e tampo dos quatro vasos sanitários custarão R$ 396 cada.

Na presidência do STF e do CNJ, Barbosa adota um rigoroso discurso de contenção de despesas do Judiciário.

Na semana passada, envolveu-se em polêmica com entidades de juízes, ao criticar gastos desnecessários com a criação de Tribunais Regionais Federais.

Segundo o STF, a reforma será feita por conta do "desgaste pelo tempo de uso". A corte nega que tenha partido de Barbosa a ordem para a reforma, mas não apontou o responsável pelo lançamento do edital, ocorrido durante a atual gestão.


De acordo com a assessoria, a exigência de materiais de "primeira qualidade, sem manchas, defeitos ou imperfeições" foi feita "para evitar o fornecimento de materiais inadequados ou de qualidade duvidosa".

FONTE: A FOLHA DE SÃO PAULO.

Oito dicas pra não pagar mico em tempos de manifestações

Por Sidney Braga
Oito dicas pra não pagar mico em tempos de Manifestações:

1- Não compartilhe o vídeo dos atores da Globo contra Belo Monte. Esse vídeo de 2011 está cheio de informações falsas. Inclusive alguns atores que gravaram o vídeo se arrependeram depois de descobrir que o que eles disseram não era bem assim.

2- Não diga que foram gastos 30 bilhões em estádios. Na verdade, foram gastos 7 bilhões, que é coisa pra caramba. Desses 7 bilhões, grande parte é emprestado pelo governo federal, mas a maior fatia será paga pela iniciativa privada. Os outros 23 bilhões foram investimentos em infraestrutura, transporte e aeroportos. Inclusive, o investimento em transporte é uma das reivindicações dos protestos.

3- Nunca peça pro governo gastar com saúde o mesmo que se gastou com estádio de futebol. Nos 7 anos de preparação para a Copa, foram gastos aproximadamente 7 bilhões com estádios. Neste mesmo período, foram gastos mais de 500 bilhões com saúde. Então se vc fizer isso, na prática vc ta pedindo pra reduzir consideravelmente os gastos com saúde. Gastos com saúde nunca são demais. Então cuidado pra não pedir a coisa errada.

4- Não peça um presidente pra garantir que algum político seja preso. Isso é papel do poder Judiciário. O manifesto deve ser endereçado a este poder.

5- Não peça um presidente pra impedir a votação de uma lei ou PEC. Isso é prerrogativa do Congresso. O manifesto deve ser endereçado aos parlamentares.

6- Não peça um presidente pra cassar o mandato de algum deputado ou senador. Isso é papel das casas legislativas. Está escrito no artigo 55 da Constituição Federal.

7- Nunca peça pra fechar o Congresso e acabar com os partidos. O último presidente que fez isso foi um Marechal. Tal ato aconteceu em 1968 e foi nada menos do que o temido AI-5 da ditadura.

8- Não compartilhe aquelas informações falsas sobre o auxílio reclusão. O auxílio reclusão é um benefício pago à família do detento que contribuiu com o INSS, logo ele está recebendo um valor pelo qual já pagou anteriormente. O detento deve ser punido, não sua família.

FONTE: Luis Nassif

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Sobral -CE | População Sobralense sai as ruas em busca de seus direitos


Após a realização de protestos em algumas capitais do País, jovens da cidade de Sobral também tomaram a iniciativa pela luta social. De inicio era apenas uma campanha online. Depois da grande aderência, passou para um movimento que reuniu pouco mais de 2.000 jovens em busca de melhorias para cidade a Princesinha do Norte.

Os cidadãos tiveram como tema principal da manifestação a Segurança, pois nos últimos meses o número de homicídios e assaltos na cidade tem crescido. Como exemplo, no momento em que os jovens realizavam a manifestação, a nossa equipe de Reportagem recebeu a informação da ocorrência de um assalto a uma farmácia que fica de frente ao Hospital Regional Norte. O hospital, por sua vez, também foi alvo de protestos.

Tendo como ponto de partida a Boulevard do Arco, um dos principais monumentos da cidade, a caminhada teve parada na fachada da Câmara Municipal, levando cartazes que apoiavam a idéia da redução de salário dos vereadores.

Segurança foi apenas um dos mais diversos temas que jovens escolheram para sair às ruas hoje. O descontentamento, segundo eles, vem crescendo dia a dia. Em um dos cartazes estava escrito: “Acordamos. E estamos de mal humor”.

O projeto do Metrô de Sobral que está orçado em cerca de R$ 65 milhões. Serão investidos R$ 1,2 milhão em projetos e supervisão; R$ 20 milhões em material rodante; R$ 2 milhões em desapropriações; e R$ 42 milhões na execução das obras também foi alvo dos manifestantes.

Texto: Ivanésio Filho - Site Sobral em Alerta
Fotos: Ivanésio Filho/ Jeff ponte/ Jéssyca Marques
Análise do Texto: Jéssyca Marques.



Foto: Jéssyca Marques.


Foto: Jeff Ponte
FOTO: Jeff Ponte







Hospital Dr. Estevam passa por dificuldades financeiras e poderá pedir o descredenciamento do SUS


O Hospital Dr. Estevam Ponte, entidade hospitalar tradicional de Sobral está, hoje, passando por uma crise sem precedente. Sua situação financeira está chegando ao seu próprio limite. Por esta razão, o seu diretor geral, Dr. Estevão Filho resolveu levar ao conhecimento da sociedade e do povo de forma em geral os momentos difíceis que passa esse tradicional hospital sobralense.

Palavras do Dr. Estevão em entrevista ao repórter Osvaldo Avelino:
- “O convênio que temos com o SUS, não dá para cobrir nossas despesas. O SUS faz sete anos que não corrige sua tabela. O que torna impossível cumprir com todas as despesas do hospital. Pra se ter uma ideia, o SUS paga por uma consulta a quantia irrisória de R$ 8,00 e por uma operação de vesícula que leva até 3 horas para ser concluída apenas R$ 600,00 para pagar o cirurgião, o anestesista e o hospital. Quando o SUS começou a pagar o valor que paga hoje, o salário mínimo era um pouco mais de R$ 200,00 e, hoje, o salário está em R$ 700,00, o que tem levado o hospital a esta situação preocupante.”


- “Se o governo federal não atualizar sua tabela de forma urgente, seremos obrigados a pedir o nosso descredenciamento e passaremos a ser o único hospital do Brasil, a atender as pessoas pobres cobrando apenas um pouco mais do que paga, hoje, o SUS.”


- “Só estamos funcionando até os dias de hoje, porque contamos com a compreensão de nossa equipe médica. Se não fosse. Já teríamos fechado as portas. Porque nossas despesas são grandes com pagamento de impostos, compra de medicamentos e pagamento de pessoal. E o dinheiro que arrecadamos é pouco e não está dando para cobrir nossas despesas.”


“Estive reunido com o prefeito Clodoveu Arruda, com o chefe de gabinete Luciano Arruda e com o secretário de Saúde, Olivan Queiroz, que depois foram ao hospital e viram dura realidade, e se comprometeram a nos ajudar.”


“Nos últimos anos, 75 mil leitos foram fechados em todo o país por conta desta defasada tabela. Os médicos preferem ficar em suas clinicas a terem que trabalhar ganhando pelo SUS.”

DETALHE
Estivemos no Hospital Dr. Estevão no final da manhã desta quarta-feira (19) e podemos observar o pouco número de médicos para atender a enorme demanda. Clínico e cirurgião geral, e um dos sócios do Hospital, Dr. Estevão se desdobra no atendimento clínico e no centro cirúrgico. Alguns profissionais que trabalham no Hospital estão atendendo somente através do Plano Contribuinte Voluntário e particular, cujos valores são R$ 70 e R$ 250 respectivamente.

FONTE: Sobral em Revista

Autorizada a construção do novo Aeroporto de Sobral



Segundo informações publicadas no Facebook do Chefe de Gabinete da Prefeitura Municipal de Sobral, Luciano Arruda, o prefeito Veveu Arruda autorizou na última terça-feira, 18, a desapropriação da área para construção do novo aeroporto de Sobral.

O novo aeroporto fortalecerá a economia da cidade que cresce de forma acelerada, atenderá aos moradores da Região Norte do estado e proporcionará agilidade no transporte de pessoas e produtos. Incentivando a vinda de mais empresas para o município.

O aeroporto deverá ficar localizado as margens da rodovia CE 178, estrada que da acesso ao distrito de Patriarca.

FONTE: Sobral em alerta

A mentira da imprensa sobre a ‘cura gay’; Pr. Silas comenta

Imagem: divulgação



A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara aprovou nesta terça-feira (18) o projeto de lei que determina o fim da proibição, pelo Conselho Federal de Psicologia, de tratamentos que se propõem a tratar a homossexualidade. A sessão foi presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), depois de várias semanas de adiamento por causa de protestos e manobras parlamentares contra o projeto.

De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), a proposta suspende dois artigos de uma resolução de 1999 do conselho. Um deles impede a atuação dos profissionais da psicologia para tratar homossexuais. O outro proíbe qualquer ação coercitiva em favor de orientações não solicitadas pelo paciente e determina que psicólogos não se pronunciem publicamente de modo a reforçar preconceitos em relação a homossexuais.

Pr. Silas comenta:

É um absurdo, uma afronta à inteligência humana, como a imprensa brasileira na sua grande maioria engole tudo o que o ativismo gay promove, como verdade absoluta, sem o mínimo de análise imparcial, sem ao menos buscar a opinião de partes contrárias, como se a verdade absoluta pertencesse ao ativismo gay.

Vejamos:

1) O projeto não visa curar ninguém. E pelo que me consta, a psicologia não se utiliza deste termo “cura”.

2) O projeto tem a ver com Direitos Humanos. Nenhuma entidade de classe profissional, religiosa ou quem quer que seja, pode impedir uma pessoa de buscar ajuda se ela assim desejar e decidir. O que o Conselho Federal de Psicologia fez ao impedir que psicólogos tratem de homossexuais que vão pedir ajuda sobre a sua sexualidade, é uma afronta a Constituição e a própria ciência. Por que um heterossexual pode pedir ajuda a um psicólogo sobre sua sexualidade e um homossexual não? Em que parâmetros científicos e também legais você pode impedir um profissional de ajudar quem o procura?

3) O Conselho Federal de Psicologia está ideologizado pelos “esquerdopatas” e pelo movimento gay. Pasmem os senhores: NENHUM CONSELHO OU SOCIEDADE DE PSICOLOGIA NO MUNDO TEM UMA RESOLUÇÃO TÃO IMBECÍL E ESDRÚXULA COMO ESTA. Em nenhum lugar do mundo o psicólogo é impedido de tratar quem o procura. É vergonhoso ver as ciências humanas virarem ciências exatas e servir ao ativismo gay.

4) Um princípio que rege o atendimento profissional a pessoas na área das ciências humanas é que o indivíduo é quem decide se quer ajuda ou não. Em hipótese alguma o terapeuta.

5) Uma outra questão: quem falou que o ativismo gay tem o monopólio do homossexualismo? É a mesma coisa se nós, pastores evangélicos, tivéssemos o monopólio dos evangélicos e por consequência o poder de determinar se um evangélico pode ou não pedir ajuda a um psicólogo porque esta com problemas em relação a sua religiosidade. Claro que nem os ativistas gays, nem nos pastores, temos o monopólio sobre ninguém. É uma afronta aos direitos de cidadania! A pessoa é livre, seja homo, hétero, católico, evangélico e etc, de pedir ajuda a quem quiser.

6) A safadeza da questão é que querem passar para a sociedade como se alguém estivesse obrigando os homossexuais a mudarem o seu comportamento, porque todos nós sabemos que qualquer psicólogo e médico que queira impor um tratamento a uma pessoa que não o deseja, é passivo de punição.

7) A verdade é a seguinte: homossexualismo é um comportamento que um indivíduo pode desejar ser ou não ser, da mesma forma que a religiosidade também é um comportamento do ser humano que ele pode deixar de ser ou vir a ser da religião que ele bem quiser. DIREITOS HUMANOS JÁ! LIBERDADE EXPRESSÃO JÁ!


Sensacional a matéria de Reinaldo Azevedo sobre a questão da “cura gay”. Leia e comente! Clique Aqui!

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Polo da Fiocruz no Ceará produzirá medicamentos para doenças raras.



O Governador Cid Gomes participou nesta terça-feira (18), em Brasília, do encontro do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (Gecis), que reúne os principais atores da indústria farmacêutica nacional, além de seis ministérios, a Anvisa, Fundação Oswaldo Cruz e do Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES). No encontro, foi assinada a parceria para a primeira plataforma tecnológica para produção de medicamentos biológicos a partir de células vegetais, como as de cenoura e do tabaco, e envolve a parceria entre a Fiocruz, a empresa israelense Protalix, o norte-americano Centro Fraunhofer para Biotecnologia Molecular e a iBio Inc. A produção começará a funcionar plenamente em 2016, quando o polo tecnológico da saúde no Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza, for inaugurado.

O novo polo da Fiocruz no Ceará começa a ser construído até o fim deste ano. Por meio da parceria firmada, a fábrica produzirá inicialmente medicamentos para doenças raras como o Taliglucerase Alfa Humana Recombinante, para a doença de Gaucher, e a primeira vacina do mundo a partir de uma planta, contra febre amarela.

"Com essa parceria nós estamos ajudando a corrigir as desigualdades sociais e reduzir as desigualdes regionais. Nós disponibilizamos há um tempo um terreno para instalação de indústrias na área de tecnologia e a primeira delas foi a Fiocruz com este grande projeto. Portanto, esta parceria será de grande importância para o Brasil e também para nós, com os empregos gerados", disse Cid Gomes.

Ação violenta de vândalos em São Paulo termina com quase 30 lojas depredadas ou saqueadas


'Só não levaram o que não aguentaram', diz segurança de loja

O rastro de destruição deixado após o sexto protesto contra o aumento das passagens, na noite de terça-feira (18), atingiu tanto prédios públicos quanto estabelecimentos privados. Foram 29 lojas depredadas, saqueadas ou incendiadas, entre comércio e bancos. Também houve 189 lixeiras arrebentadas e dois prédios tombados danificados — a sede da Prefeitura Municipal de São Paulo e o Teatro Municipal. De acordo com o subprefeito da Sé, Marcos Barreto, ainda não foram contabilizados todos os prejuízos do quebra-quebra.

Os vândalos, que atearam fogo no carro da Record e tentaram invadir a sede da prefeitura, também picharam diversos locais. No total, foram 12 pontos concentrando a pichação e destruição. Entre eles, a rua 15 de Novembro, São Bento e praça do Patriarca. Até o fim da manhã, 350 pessoas trabalhavam na limpeza da região do centro histórico, rua Augusta e avenida Paulista.

Ao menos 61 pessoas foram detidas após saques e depredações durante o sexto protesto contra o aumento das tarifas do transporte público na capital paulista. As prisões aconteceram entre o fim da noite desta terça-feira (18) e o início da madrugada desta quarta-feira (19). A maioria foi autuada por furto e vandalismo.

Sexto protesto

Um dia após manifestação histórica na cidade de São Paulo reunir mais de 100 mil pessoas nas ruas da cidade, o sexto ato contra o aumento da tarifa de ônibus na capital paulista, ocorrido nesta terça-feira (18), foi o mais violento de todas as manifestações. Com início pacífico, milhares de pessoas se reuniram na praça da Sé por volta das 17h. No entanto, os tumultos começaram quando uma parte do grupo caminhou para a sede da prefeitura antes da definição oficial do trajeto que a passeata faria.

Em pouco tempo, o prédio da prefeitura, no viaduto do Chá, na região central, foi cercado. Um grupo de pessoas queimou um boneco com o rosto do prefeito Fernando Haddad e, na sequência, parte dos manifestantes derrubou a grade que dava acesso ao pátio da prefeitura e invadiu o local. Com pedras, eles quebraram vidros das cinco grandes vidraças da frente do prédio. Enquanto isso, outros participantes gritavam "sem vandalismo, sem violência". A parede da sede do governo municipal também foi pichada. Uma das mensagens era "3,20 não".

Manifestantes depredam sede da Prefeitura de São Paulo

A GCM (Guarda Civil Metropolitana) usou spray de pimenta e gás lacrimogênio para conter a manifestação e impediu que o prédio fosse invadido. A confusão na região continuou e manifestantes arrancaram a bandeira da cidade de São Paulo do mastro da prefeitura e tentaram atear fogo. Segundo a assessoria da prefeitura, Fernando Haddad (PT) deixou o edifício por volta das 17h30 para uma reunião com a presidente Dilma Rousseff, em São Paulo, e foi orientado a não voltar ao prédio.

Apple planeja lançar iPhone de 5,7 polegadas e versão de R$ 200

iphone



A Apple está considerando expandir sua linha de iPhones incluindo modelos um modelo com tela gigante e outro muito barato, de acordo com informações da Reuters. As mudanças seriam motivadas pelo sucesso dos recentes lançamentos da Samsung, e coincidiriam com a renovação no layout do sistema operacional móvel da companhia, o iOS 7, que será disponibilizado no fim do ano.

Caso o plano seja aprovado, os novos modelos devem ser lançados em 2014. Um dos aparelhos teria tela de 4,7 polegadas e custaria somente US$ 99 (cerca de R$ 215), embora não tenha sido revelado pela fonte se o preço reduzido incluiria um contrato com operadora ou se o smartphone utilizaria peças mais simples para baratear seu custo. Outro modelo esperado seria o iPhone foblet, com tela de 5,7 polegadas.

Para 2013, o calendário da Apple inclui um iPhone 5S, que deve ser lançado no final de 2013 sem mudanças drásticas em relação ao modelo 5. No entanto, rumores afirmam que o novo smartphone pode chegar junto de uma versão barata, que teria um corpo de plástico e contaria com até seis cores diferentes.

Caso os rumores se revelem reais, a Apple estará mudando sua estratégia completamente. Isto porque o CEO da companhia, Tim Cook, já deixou claro em várias ocasiões que a empresa nunca lançaria produtos de baixo custo. Além disso, versões do iPhone com telas grandes também não fariam parte dos planos já que, de acordo com Cook, o aumento nos displays diminui a qualidade da imagem e gasta mais bateria.

Fonte: Tech Tudo

Veículo da rede Record é incendiado em protesto de São Paulo


Um veículo da Rede Record e uma base da Polícia Militar que ficam em frente à prefeitura foram incendiados durante manifestação em São Paulo, nesta terça-feira, 18. Além disso, o jornal O GLOBO apurou que uma agência bancária foi depredada.

A confusão começou no início da noite quando alguns manifestantes radicais conseguiram romper o cordão de isolamento do prédio. A fachada foi apedrejada e pichada. Grades que cercavam o local foram atiradas contra a prefeitura e vidraças e holofotes, destruídos.

Os atos, praticados por parte de manifestantes com o rosto coberto, foram contidos pelo restante do grupo que está pacífico. Alguns recolocaram as grades de proteção em frente à prefeitura e guardas municipais se recolheram.

Há, pelo menos, três grupos de manifestantes pela cidade. Um deles caminha pela Avenida Paulista, que está totalmente interditada, e outro está na Avenida Consolação.

Segundo o jornal O GLOBO, o prefeito Fernando Haddad (PT) não está na prefeitura. Funcionários estão presos dentro do prédio. Alguns olham pela janela. Na chegada do grupo à sede do governo municipal, um boneco de pano com o símbolo do PT também foi queimado pelos manifestantes no início da noite.

Redação O POVO Online


Sobral - CE | Trem arrasta carro por quase cinco metros no Bairro Sumaré

Nessa tarde terça-feira 18/06 por volta 16:h 30:m a nossa reportagem registrou um acidente envolvendo um veiculo e o trem.
O fato aconteceu no bairro do Sumaré na rua ferroviária bem em frente a mercearia do doutor, informações colhidas por populares dão conta que o carro vendia cigarro naquela área quando ele foi passar a linha ele foi surpreendido com o trem que arrastou o mesmo por quase cinco metros.
Dentro do carro so se encontrava o condutor, foi quando ele se jogou pela a porta do carro pra não morrer, depois de alguns metros o trem consegui parar havendo assim so danos materiais, o rapaz graças a deus não sofreu nada e passa bem
Os guardas municipais da CCTU foram acionados pelo o ciop estiveram no local para ser feitos os procedimentos legais

Composição: sup.: jullif, egente nobre e agente Gilmar



Fonte: Freelance 24 Horas

terça-feira, 18 de junho de 2013

Haddad admite reduzir tarifa se tiver o apoio da população



O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), admitiu pela primeira vez a possibilidade de revogar o aumento da tarifa de ônibus. "Se as pessoas me ajudarem a tomar uma decisão nessa direção [redução da tarifa], eu vou me subordinar à vontade das pessoas porque eu sou prefeito da cidade", disse o petista em reunião, na manhã de hoje, com o Conselho da Cidade e líderes do Movimento Passe Livre.

No entanto, Haddad frisou que reduzir a passagem de ônibus de R$ 3,20 para R$ 3,00, como pediram ontem mais de 65 mil pessoas pelas ruas de São Paulo, custaria à prefeitura da cidade mais de R$ 8 bilhões até 2016. A estimativa é da Secretaria Municipal de Transportes.

"Eu não posso negar a verdade para as pessoas", disse o prefeito sobre o custo da redução. "Preciso explicar à população que se tivermos de aumentar os subsídios [no transporte], vai sair de outras áreas", continuou.

"Vou fazer uma reflexão sobre os números, sobre o que ouvi [na reunião] e vou dar uma resposta para o movimento e pronto", acrescentou.

Segundo Haddad, a prefeitura está disposta a discutir redução de lucros dos empresários do transporte e pedir mais desonerações ao governo federal.

E também afirmou ser a favor do financiamento do transporte público por quem usa o transporte individual, com arrecadação por meio de pedágio urbano. "Às vezes precisamos tomar decisões mais ousadas", disse. Haddad acredita que sobretaxar veículos privados "dialoga também com a questão ambiental".

Sobre as reivindicações dos manifestantes, o prefeito defendeu que o MPL pede, na verdade, um congelamento da tarifa em R$ 3,00, e não apenas a revogação."Eles próprios acabaram admitindo que trata-se de um congelamento porque não é perspectiva do movimento conviver com algum reajuste."

Haddad finalizou a reunião deixando as portas da negociação abertas. "Não vou fugir do tema. Vamos ajudar a cidade a tomar a melhor decisão."

O secretário de transportes, Jilmar Tatto, também presente à reunião, admitiu que o setor ainda está "atrasado". "Há nove anos, eles [os empresários do transporte] foram contra a implantação do bilhete único."

"Se o prefeito tomar essa decisão [de reduzir a tarifa], terá de aumentar os impostos. Ou pedir mais desonerações. O governo federal está fazendo a sua parte, mas pode fazer mais".


Fonte: Folha de S.Paulo

Dilma diz que "Brasil acordou mais forte" após manifestações


Ao longo de cinco minutos de discurso no Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff fez nesta terça-feira (18) sua primeira manifestação contundente sobre os protestos que vêm tomando as principais capitais do país desde a semana passada, e que ontem culminaram em mais de 240 mil pessoas nas ruas.

Quebrando o silêncio, elogiou o caráter democrático das manifestações, criticou episódios isolados de violência e disse que o "Brasil tem orgulho" dos manifestantes pacíficos.

"O Brasil hoje acordou mais forte. A grandeza das manifestações de ontem comprovam a energia da nossa democracia, a força da voz da rua e o civismo da nossa população. É bom ver tantos jovens e adultos, o neto, o pai, o avô, juntos com a bandeira do Brasil, cantando o hino nacional, dizendo com orgulho "eu sou brasileiro" e defendendo um país melhor. O Brasil tem orgulho deles", afirmou a presidente, durante a apresentação do novo marco regulatório da mineração, no Palácio do Planalto.

POLÍCIA


A presidente elogiou, ainda, a postura das forças policiais nas manifestações de ontem, em mais de uma dezena de capitais brasileiras - entre elas, Brasília, em que manifestantes ocuparam o terraço do Congresso Nacional, ao lado do Palácio do Planalto.

"Devemos louvar o caráter pacífico dos atos de ontem. O caráter pacífico dos atos públicos de ontem evidenciou também o correto tratamento dado pela segurança pública à livre manifestação popular. Conviveram pacificamente. Infelizmente, porém, é verdade, aconteceram atos minoritários e isolados de violência contra pessoas, contra o patrimônio público e privado, que devemos condenar e coibir com vigor. Sabemos, governo e sociedade, que toda violência é destrutiva, lamentável e só gera mais violência. Não podemos aceitar jamais conviver com ela", disse.

Dilma chegou a vincular as demandas dos manifestantes ao surgimento de "cidadãos que querem mais" através das políticas sociais de seu governo e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"O meu governo, que quer ampliar o acesso à educação e à saúde, compreende que as exigências da população mudam. Mudam. Mudam quando nós mudamos também o Brasil. Porque elevamos a renda, porque ampliamos o acesso ao emprego, porque demos acesso a mais pessoas à educação, surgiram cidadãos que querem mais, que têm direito a mais", afirmou a presidente.

Até então, Dilma vinha buscando se manter distante de uma avaliação mais aprofundada sobre as manifestações. Ontem, no início da noite, no primeiro comentário sobre os episódios, limitou-se a divulgar um comunicado de 16 palavras: "As manifestações pacíficas são legítimas e são próprias da democracia. É próprio dos jovens se manifestarem", disse.

Leia a íntegra do discurso de Dilma Rousseff sobre as manifestações:


"O Brasil hoje acordou mais forte. A grandeza das manifestações de ontem comprovam a energia da nossa democracia, a força da voz da rua e o civismo da nossa população. É bom ver tantos jovens e adultos, o neto, o pai, o avô, juntos com a bandeira do Brasil, cantando o hino nacional, dizendo com orgulho "eu sou brasileiro" e defendendo um país melhor. O Brasil tem orgulho deles.

Devemos louvar o caráter pacífico dos atos de ontem. O caráter pacífico dos atos públicos de ontem evidenciou também o correto tratamento dado pela segurança pública à livre manifestação popular. Conviveram pacificamente.

Infelizmente, porém, é verdade, aconteceram atos minoritários e isolados de violência contra pessoas, contra o patrimônio público e privado, que devemos condenar e coibir com vigor. Sabemos, governo e sociedade, que toda violência é destrutiva, lamentável e só gera mais violência. Não podemos aceitar jamais conviver com ela.

Isso, no entanto, não ofusca o espírito pacífico das pessoas que foram às ruas democraticamente pedir pelos seus direitos. Essas vozes das ruas precisam ser ouvidas. Elas ultrapassam, e ficou visível isso, os mecanismos tradicionais, das instituições, dos partidos políticos, das entidades de classe e da própria mídia.

Os que foram ontem às ruas deram uma mensagem direta ao conjunto da sociedade, sobretudo aos governantes de todas as instâncias. Essa mensagem direta das ruas é por mais cidadania, por melhores escolas, melhores hospitais, postos de saúde, pelo direito à participação. Essa mensagem direta das ruas mostra a exigência de transporte público de qualidade e a preço justo. Essa mensagem direta das ruas é pelo direito de influir nas decisões de todos os governos, do Legislativo e do Judiciário. Essa mensagem direta das ruas é de repúdio à corrupção e ao uso indevido do dinheiro público. Essa mensagem direta das ruas comprova o valor intrínseco da democracia, da participação dos cidadãos em busca de seus direitos.

Eu queria dizer aos senhores: a minha geração sabe o quanto isso nos custou. Eu vi ontem um cartaz muito interessante que dizia: "Desculpe o transtorno, estamos mudando o país". Eu quero dizer que o meu governo está ouvindo essas vozes pela mudança. O meu governo está empenhado e comprometido com a transformação social. A começar pela elevação de 40 milhões de pessoas à classe média, com o fim da miséria.

O meu governo, que quer ampliar o acesso à educação e à saúde, compreende que as exigências da população mudam. Mudam. Mudam quando nós mudamos também o Brasil. Porque elevamos a renda, porque ampliamos o acesso ao emprego, porque demos acesso a mais pessoas à educação, surgiram cidadãos que querem mais, que têm direito a mais.

Sim, todos nós estamos diante de novos desafios. Quem foi ontem às ruas quer mais. As vozes das ruas querem mais, mais cidadania, mais saúde, mais educação, mais transporte, mais oportunidades. Eu quero aqui garantir a vocês que o meu governo também quer mais, e que nós vamos conseguir mais para o nosso país e para o nosso povo."

Fonte: A Folha de S.Paulo

Vídeo de brasileira que critica a Copa no Brasil vira hit na web



Quando sentou em frente à câmera na semana passada para filmar um vídeo para explicar sua indignação com a realização da Copa no Brasil, a diretora de fotografia Carla Dauden, 23, talvez não esperasse a repercussão do que faria.

Menos de 24 horas após postar o vídeo "No, I'm not going to the world cup" ("Não, eu não vou para a Copa do Mundo"), mais de 500 mil pessoas já viram suas críticas.

Carla, que mora nos Estados Unidos há cinco anos após passar a infância e a adolescência em Florianópolis (SC), disse que resolveu fazer o vídeo devido à falta de conhecimento dos americanos sobre o que ocorreria no Brasil.

"Toda vez que falava que eu era brasileira alguém falava da Copa. Mas ninguém sabia o que estava acontecendo", disse, lembrando que, no geral, essas pessoas relacionavam a competição apenas a festas e alegria.

Por isso, queria ser mais sarcástica no vídeo. "No começo eu gostaria que fosse com mais comédia, também tirando sarro dos americanos [pela falta de conhecimento do que ocorria], mas preferi minimizar para que mais informasse do que agredisse".



No vídeo, a brasileira explica alguns dos pontos críticos da Copa, como gastos bilionários, suspeitas de superfaturamento e desapropriações --como o caso da aldeia Maracanã. Também levanta bandeiras comuns aos brasileiros contrários à competição, como usar os recursos para outras prioridades (educação, saúde, segurança), e reclama do discurso político relacionando a Copa com o legado.

Ao final do vídeo aparece Dilma Rousseff em um discurso sobre o legado da Copa sobreposto com imagens que contradizem o que ela diz. Carla negou que fosse uma crítica direta à presidente.

"A imagem de Dilma, neste caso, é simbólica, já que ela é a presidente", explica. Ela não votou para presidente em 2010 por já estar morando nos Estados Unidos, mas não quis dizer quem escolheria para ocupar o Planalto.

VIRALIZOU
A produção do vídeo, segundo Carla, durou duas semanas. "Primeiro filmamos os americanos sendo questionados sobre o que pensam sobre a Copa do Mundo. Depois levei uma semana para fazer o roteiro, levantar os dados que usei. Em uma tarde filmei com um amigo e no dia seguinte editei", explicou.

O vídeo foi postado na manhã de ontem na rede social Youtube, e tinha 535 mil visualizações até o fechamento desta reportagem. "Não sei exatamente de onde está vindo [a audiência]. No começo parecia ser mais de brasileiros, mas agora já se espalhou", explica a diretora de fotografia. "Já vi comentários vindos do Canadá, Estados Unidos..."

Boa parte do fato de o vídeo ter virado "hit" na internet veio na onda da série de protestos no Brasil. Porém, Carla nega que tenha alguma relação. "Fiz e pensei tudo bem antes da manifestação", disse. A brasileira ainda criticou a tentativa de usar o vídeo neste sentido. "Tem gente pegando o vídeo e postando de novo com outros títulos, como 'Não vá à Copa'. Minha intenção não é fazer as pessoas não irem à Copa. Só queria chamar a atenção aos problemas".


FONTE: Folha de S.Paulo

Manifestação pede saída de prefeito de Juazeiro do Norte, no Ceará


No mote das manifestações que têm acontecido em diversas partes do Brasil, a população de Juazeiro do Norte, distante 493,4 quilômetros de Fortaleza, saiu às ruas na tarde desta terça-feira, 18, para protestar contra o prefeito da cidade,Raimundo Macêdo(PMDB) alvo de críticas após enviar mensagem à Câmara dos Vereadores reduzindo o salário dos professores da rede pública de ensino.

O movimento, intitulado “Fora, Raimundão”, abraçou a causa dos professores e outras deficiências do município na gestão do atual prefeito. Organizado pelas redes sociais, a concentração dos manifestantes começou por volta das 15h, na rua São Pedro, e deve se dirigir à praça Padre Cícero e à Câmara Municipal.

Prefeito nega redução
Em coletiva de imprensa concedida na manhã de hoje, o prefeito de Juazeiro do Norte negou que tenha reduzido o salário dos professores e prometeu que o pagamento deste mês será adiantado para provar que não haverá descontos.

Em nota, na segunda-feira, 17, a Prefeitura disse que apenas incorporou gratificações no salário-base da categoria - o que é negado pelo sindicato dos professores. Segundo a gestão, os cortes ocorreram pois a folha de pagamento da educação era “inviável” e não deixava margens para investimentos.

A Câmara de Juazeiro do Norte aprovou a redução, em até 40%, do salário dos professores da rede pública do Município, na última quinta-feira, 6. O fato gerou revolta no município e nas redes sociais.O muro do prédio da prefeitura foi alvo de pichações e manifestantes em São Paulo e na Itália exibiram cartazes apoiando o movimento contra o prefeito.
Fonte: O Povo Online

Protestos viram quase tema único na rede social



Quem está conectado às redes sociais percebeu que os protestos se tornaram quase um tema único nos últimos cinco dias, dominando publicações no Twitter, Facebook e também no YouTube. Os compartilhamentos causaram impacto potencial em mais de 74 milhões de internautas até a noite de ontem. O mapeamento foi realizado on-line pela empresa Scup. “O monitoramento mostra que essas mensagens chegaram a todas essas pessoas”, afirmou o gestor de comunicação da empresa, Eliseu Barreira Junior. Essa abrangência foi alcançada entre quarta-feira, 12, e as 20 horas de segunda-feira.

O mapeamento das redes indica uma curva crescente das publicações sobre o tema desde quinta-feira, 13, dia da manifestação marcada pela violência policial, alcançando nesta segunda-feira um pico de menções. Os termos mais citados foram “Protesto”, “O gigante acordou”, “Vem pra rua” e “Acorda, Brasil”. A plataforma contabilizou mais de 104 mil itens publicados no período.

“A paciência acabou e a gente acordou”, escreveu pelo Twitter o internauta @givejustinfood. “Pastores, posicionem-se... Despertem suas igrejas!!!”, pediu David Castilho pelo Facebook. Ontem, a alta de publicações aconteceu entre 15 e 16 horas, com 19 mil tens.

A internet teve papel fundamental na organização dos atos. Em São Paulo, por exemplo, o evento no Facebook para a manifestação teve 276 mil confirmações. O ato foi grande, mas se percebe que muitos demonstraram o apoio virtual. Mas não foi só isso.

Vilões a heróis


De acordo com o pesquisador de comportamento jovem Daniel Gasparetti, as redes tiveram papel mais preponderante na guinada da opinião pública. “Foi nas redes sociais que se viu os manifestantes passarem de vilões a heróis”, diz. “Além do contato direto, da informação feita do local, houve um intenso debate sobre os motivos dos atos.” 


(Das Agências de Notícias)