sábado, 20 de setembro de 2014

Datafolha/O Povo: Tasso Jereissati sobe para 58% e Mauro Filho cai para 19%


Pesquisa Datafolha/O Povo divulgada neste sábado (20) mostra que o candidato do PSDB, Tasso Jereissati, subiu quatro pontos percentuais e lidera com 58% das intenções de voto. Mauro Filho (PROS) oscilou um ponto para baixo e tem 19%.

Com o resultado, a diferença entre eles passa de 34 para 39 pontos. Geovana Cartaxo (PSB) e Raquel Dias (PSTU) aparecem com 2%. Não sabe 14% e Branco/Nulo 7%. Foram ouvidos 1,2 mil eleitores com em 47 municípios do Ceará, entre os dias 18 e 19 de setembro.


A pesquisa foi registrada no TSE sob os números CE-00022/2014 e BR-00695/2014.

Eunício Oliveira derrota Camilo Santana no 1º turno, revela O Povo/Datafolha



Foi divulgada nesta sábado (20) a terceira rodada da pesquisa O Povo/Datafolha. De acordo com levantamento realizado entre os dias 18 e 19 de setembro, Eunício Oliveira (PMDB) venceria as eleições em primeiro turno, pois o resultado de todos os outros adversários é inferior a sua pontuação.
Confira abaixo os números:

Eunício Oliveira - 41%
Camilo Santana 34%
Eliane Novaes - 3%
Ailton Lopes 1%
Não sabe - 13%
Brancos/ Nulo - 8%
Segundo turno

A pesquisa simula ainda cenário de segundo turno entre Eunício e Camilo. Pela projeção, o peemedebista venceria com 45% das intenções de voto, contra 37% do petista. Já brancos e nulos somam sete pontos. 11% dos eleitores se declararam indecisos. Os dados acima integram a pesquisa estimulada, quando é apresentada ao eleitor uma lista com os nomes dos candidatos. Neste tipo de pesquisa, 8% dos entrevistados disseram ainda votar em branco ou nulo e outros 13% se afirmaram indecisos.

Já na pesquisa espontânea, quando o eleitor diz em quem pretende votar sem ver lista com nomes, Eunício cresce acima da margem de erro e passa de 19 para 25 pontos. Já Camilo oscila positivamente um ponto, alcançando 19%. Apesar de não disputar eleição, o governador Cid Gomes (Pros) foi outro nome a ser lembrado pelos eleitores, alcançando 1%.

Além de liderar as intenções de voto, Eunício Oliveira também aparece com a menor taxa de rejeição, que permanece estável em 17%. Nessa pesquisa, onde os eleitores dizem em qual candidato não votariam de jeito nenhum, Ailton Lopes e Eliane Novais lideram, com 30% cada. Camilo aparece com 21% de rejeição.

Essa é a terceira pesquisa de uma série realizada pelo O POVO em parceria com o jornal Folha de S. Paulo. Ela ouviu 1,2 mil eleitores com em 47 municípios do Ceará, entre os dias 18 e 19 de setembro .

A pesquisa foi registrada no TSE sob os números CE-00022/2014 e BR-00695/2014.


*Com informações O Povo/DataFolha via Ceará News7

Reservas: (88) 3647 1208.

Veja lista dos cearenses barrados pela Lei da Ficha Limpa

Confira a lista dos 10 políticos cearenses que tiveram o registro negado pelo TRE ou que desistiram de participar das eleições após terem a candidatura contestada pelo Ministério Público Eleitoral, de acordo com levantamento do Congresso em Foco.
  • Agenor Manoel Ribeiro (PSDC), deputado estadual
  • Antônio Roque de Araújo (PSB), deputado estadual
  • Augusta Brito de Paula (PCdoB), deputada estadual
  • Francisco José Cunha de Queiroz (PTC), deputado estadual
  • José Acélio Paulino de Freitas (PRTB), deputado estadual
  • José Macêdo de Lima (PTN), deputado estadual
  • José Rocha Neto (PTB), deputado estadual
  • Mirian de Almeida Rodrigues Sobreira (Pros), deputada estadual
  • Raimundo Cordeiro de Freitas (PSL), deputada estadual
  • Raimundo Dias Angelim (PSB), deputado federal
* Fonte: Congresso em Foco

Justiça proíbe Wesley Safadão em propaganda de Eunício Oliveira


O juiz coordenador da Propaganda, Carlos Henrique Oliveira, deferiu liminar requerida pela Coligação “Para o Ceará Seguir Mudando”, de Camilo Santana (PT), impedindo a participação do cantor Wesley Safadão na propaganda eleitoral de Eunício Oliveira (PMDB) e de outros candidatos da “Coligação Ceará de Todos”.

A decisão é baseada no fato do artista ser filiado ao partido Solidariedade, que legalmente integra a coligação encabeça pelo candidato petista.

A desobediência da determinação pode acarretar multa de R$ 50 Mil e configura como crime de desobediência ao Código Eleitoral.

Veja o inteiro teor da decisão do juiz:

Trata-se de representação, com pedido de liminar interposta pela Coligação Proporcional Estadual formada por PRB, PT, PTB, PSL, PHS, PV, PSD, SD, PROS em face da Coligação Ceará de Todos, requerendo que a parte promovida se abstenha de veicular imagens de filiados a partidos diversos dos candidatos com fundamento no art. 54 da Lei nº 9.504/97.

Parecer do Ministério Público Eleitoral, fls. 39/43, opinando pela procedência da Representação.

É o relatório. Decido.

No caso em tela, o candidato a Governador Eunício Oliveira, filiado ao PMDB e candidato pela Coligação "Majoritária Ceará de Todos" aparece acompanhado, em diversas mídias diferentes, como facebook e youtube, pelo músico Wesley Oliveira da Silva, filiado ao partido Solidariedade - SD, que lançou como candidato ao governo o nome de Camilo Santana.

Vislumbro, portanto, os elementos para a concessão da liminar requerida. Pela documentação trazida aos autos (fls. 17/31), fica evidente a utilização de imagem de filiado a partido diverso do candidato beneficiado pela propaganda, à revelia da proibição estabelecida pelo art. 54 da Lei nº 9.504/97. Presente, portanto, a fumaça do bom direito. O perigo da demora, no caso, está ínsito ao período eleitoral.

Isto posto, DEFIRO a liminar requerida para determinar que a Coligação representada se abstenha de utilizar apoio de filiados não pertences ao seu arco de alianças, principalmente do Sr. Wesley Oliveira da Silva, sob pena de multa no valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) e configuração de crime de desobediência nos termos do art. 347 do Código Eleitoral.

* Com informações do TRE/CE

Dilma abre vantagem sobre Marina, aponta Datafolha


Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (19) pelo jornal "Folha de S.Paulo" aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para a Presidência da República:

- Dilma Rousseff (PT): 37%
- Marina Silva (PSB): 30%
- Aécio Neves (PSDB): 17%
- Pastor Everaldo (PSC): 1%
- Luciana Genro (PSOL): 1%
- Eduardo Jorge (PV): 1%
- Zé Maria (PSTU): 0%*
- Rui Costa Pimenta (PCO): 0%*
- Eymael (PSDC): 0%*
- Levy Fidelix (PRTB): 0%*
- Mauro Iasi (PCB): 0%*
- Branco/nulo/nenhum: 6%
- Não sabe: 7%

* Cada um dos cinco indicados com 0% não atingiu, individualmente, 1% das intenções de voto. Somados, eles têm 1%.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 10, Dilma tinha 36%, Marina, 33%, e Aécio, 15%.

Segundo o Datafolha, é a primeira vez que Dilma abre vantagem sobre Marina desde a entrada da candidata do PSB na disputa, em agosto, após a morte de Eduardo Campos. A vantagem da petista passou de 3 para 7 pontos.

Segundo turno

O levantamento divulgado nesta sexta indica que, em um eventual segundo turno entre Dilma e Marina, as candidatas aparecem empatadas tecnicamente. A candidata do PSB tem 46% e a do PT, 44%. Na semana passada, Marina, com 47%, e Dilma, com 43%, também estavam tecnicamente empatadas.

Na simulação de segundo turno entre Dilma e Aécio, a petista vence por 49% a 39% (49% a 38% na semana anterior).

O instituto também fez uma simulação entre Marina e Aécio. O resultado foi 49% a 35% para a candidata do PSB (ante os 54% a 30% do último levantamento).

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo".

O Datafolha ouviu 5.340 eleitores em 265 municípios nos dias 17 e 18 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00665/2014.

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao entrevistado em quem ele pretende votar, sem apresentar a lista de candidatos), os resultados são os seguintes:

- Dilma Rousseff: 30%
- Marina Silva: 24%
- Aécio Neves: 12%
- Outras respostas: 1%
- Em branco/nulo/nenhum: 6%
- Não sabe: 26%

Rejeição

A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Nesse item da pesquisa, os entrevistados puderam escolher mais de um nome.

- Dilma Roussef: 33%
- Marina Silva: 22%
- Aécio Neves: 21%
- Pastor Everaldo: 21%
- Zé Maria: 18%
- Levy Fidelix: 18%
- Eymael: 17%
- Luciana Genro: 16%
- Rui Costa Pimenta: 15%
- Eduardo Jorge: 15%
- Mauro Iasi: 14%

Avaliação da presidente

A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma Rousseff tem a aprovação de 37% dos entrevistados, que se refere aos entrevistados que classificaram o governo como “ótimo” ou “bom”.

Os que julgam o governo “ruim” ou “péssimo” são 24%, segundo o Datafolha. Para 38%, o governo é "regular". Os dois índices são os mesmos do levantamento anterior.

O resultado da avaliação é:
- Ótimo/bom: 37%
- Regular: 38%
- Ruim/péssimo: 24%
- Não sabe: 2%

A nota média atribuída pelos entrevistados ao governo foi 6,1.

Fonte: G1.


Profissionais capacitados e atendimento com qualidade!

Vários profissionais e todos os tipos de exames laboratoriais você encontra aqui.

Na clinica Dr. Timbó você encontra:

  • Dr. Timbó-Clinico Geral e Geriatria(Segunda a quarta).
  • Dr. Flavio- Dermatologia (a cada 15dias).
  • Dra. Anita- Dentista (Quinta pela tarde, sexta dia todo).
  • Dr. Heldaneo- Fisioterapeuta (Segunda a quinta).
  • Exames laboratoriais (Segunda a Sexta)

Dilma diz que vai recorrer ao Supremo para ter acesso à delação premiada


A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, afirmou, na manhã desta sexta-feira (19), que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para ter acesso ao teor dos depoimentos do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa à Justiça Federal. Alegando sigilo das informações, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, negou o pedido do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, na quinta-feira (18/9).

Dilma Rousseff justificou a insistência para ter acesso à delação premiada pela necessidade de investigar as denúncias de corrupção no seu governo. “Eu não tomo decisão baseada no disse-que-me-disse. Tomo baseada no que sou a favor, na investigação absoluta”, afirmou a presidente.

“Não é possível que a revista Veja saiba e o governo não saiba quem está envolvido. Pedi para a Polícia Federal, mas ela disse que não podia entregar porque a investigação está em curso. Daí, pedi para o Ministério Público Federal, mas agora pedirei para o juiz, nesse caso o ministro Teori Zavascki (relator do processo no Supremo Tribunal Federal)”, explicou Dilma.

“O câncer dos processos de corrupção é que a gente investiga, investiga, investiga e ainda continua impune. Quero deixar bem claro que tenho imenso compromisso contra a impunidade porque o culpado do crime de corrupção, lavagem de dinheiro e crime financeiro é a impunidade”, lamentou.

Desde 29 de agosto, o ex-diretor da Petrobras delata nomes de envolvidos no esquemas que teria movimentado bilhões de reais. Segundo o Jornal Nacional, da tevê Globo, Paulo Roberto teria confessado ter recebido propina de R$ 1,5 milhão pela venda da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA).

Petrobras e CPI mista voltam a pedir acesso à delação de Costa

A Petrobras e a CPI mista que investiga a estatal no Congresso voltaram a solicitar acesso aos depoimentos do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa em acordo de delação premiada celebrado pelo Ministério Público Federal (MPF). Os pedidos foram feitos por meio de ofícios enviados à 13ª Vara Criminal da Justiça Federal do Paraná.

A Petrobras alega que busca conhecer exclusivamente trechos que mencionam funcionários ou ex-funcionários da estatal e empresas com quem mantinha ou mantém relações comerciais. O objetivo, segundo a Petrobras, é apurar eventuais irregularidades.

O presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), menciona despacho do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), confirmando que já repassou à CPI as cópias da documentação da operação Lava-Jato.

No dia 10 de setembro o STF encaminhou à comissão cópias dos autos da investigação que tramitam no STF. Mas o conteúdo da delação premiada não foi compartilhado. É a segunda vez em seis dias que o presidente da CPI tenta obter a documentação da Lava-Jato.

Nesta quinta-feira, o juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações penais resultantes da Lava-Jato, fez referência em uma decisão a pagamento de propina para o ex-diretor da estatal e a políticos, realizado pelo doleiro Alberto Youssef, pivô da investigação.

"Relativamente a Alberto Youssef, as medidas investigatórias, em cognição sumária, revelaram seu suposto envolvimento, na condição de líder, de grupo criminoso dedicado à lavagem de dinheiro e a pagamento de vantagens indevidas a ex-diretor da Petrobras, sem contar pagamentos a dois parlamentares federais", destacou o magistrado no despacho em que respondeu às solicitações das defesas dos réus.

A delação de Costa também mencionaria esquema de corrupção e peculato com pagamento de propinas a políticos com o dinheiro de contratos da Petrobras.

* Com informações do Correio Braziliense e do Valor Econômico

Ótica Princesa com nova promoção!

Na compra de seu óculos, você ganha 30% de desconto na armação.

REPERCUSSÃO: Ciro insiste que não agrediu o docente e o acusa de ser um provocador contratado por Eunício.


O vídeo abaixo, enviado pelo professor Fernando Roberto ao portal Ceará News7, revela como ocorreu a agressão do secretário de Saúde do Estado, Ciro Gomes (Pros), ontem (18), na cidade de Iguatu.

As imagens mostram a chegada do secretário e do governador Cid Gomes (Pros) na inauguração da Escola Estadual de Educação Profissional Lucas Emmanuel Lima Pinheiro. Segundo o professor, no final do vídeo, é possível ver o momento em que Ciro Gomes reage às vaias dos manifestantes, se aproxima dele e, por baixo, o atinge com um leve soco na barriga.

Ontem, em nota enviada ao portal, Fernando Roberto descreveu a cena mostrada nas imagens. Sem alarde, afirmou que o golpe não o machucou e que aparentou ser, apenas, um gesto para que ele reagisse e iniciasse uma confusão.

O secretário, por sua vez, contesta e, em sua página pessoal no Facebook, diz que não agrediu o professor. Além disso, denuncia que o docente, na verdade, seria um provocador contratado por Eunício Oliveira (PMDB) para incitá-lo a fim de gerar um fato político.


“A quadrilha que estamos enfrentando nestas eleições está usando todo seu poder de suborno e corrupção para mentir descaradamente: não dei soco em ninguém nos últimos 23 anos! Como fui informado que o inescrupuloso Eunicio Oliveira contratou um bando de provocadores para irem em todo lugar aonde eu estiver com vistas a tentar produzir um incidente ,contratei um cinegrafista que está me filmando cem por cento do tempo . Hoje, em Iguatu, tudo foi filmado e posso provar que não dei soco nem agredi ninguém”, escreveu o Ciro na rede social.


Ontem, em nota enviada ao Ceará News 7, o professor informou que foi à inauguração da escola para reivindicar a conclusão do Campus da UECE e para pedir a realização de concurso para professor efetivo da Universidade. Via Facebook, o docente escreveu que não pretende “dramatizar” o caso e que, por isso, não voltará a se posicionar sobre o ocorrido.


Na mesma publicação, informa, ainda, que foi procurado pela equipe do senador Eunício Oliveira (PMDB) para que gravasse um depoimento para o programa eleitoral do peemedebista, que é candidato ao Governo do Ceará. O docente afirmou que recusou o convite, pois, “apesar de tudo”, vota em Dilma Rousseff (PT) e em Camilo Santana (PT). Ainda segundo Fernando Roberto, após a resposta, os enviados de Eunício agradeceram e foram embora. “Simples assim”, sintetizou.

O Vídeo:




Via Ceará News7

MATÉRIA DE CAPA: IstoÉ aponta relação entre Cid Gomes e Paulo Roberto Costa: 'o governador e o delator'


Com o título 'Unidos pelo petróleo', a revista IstoÉ que chega às bancas neste domingo (21) apresenta um histórico do relacionamento do governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), com o ex-diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras Paulo Roberto Costa.

No último domingo (14), a revista divulgou que o nome de Cid Gomes teria sido citado pelo ex-diretor, em delação premiada à Polícia Federal, como um dos envolvidos no escândalo da Petrobras.

Ao periódico, o governador afirmou que não sabia quem era e que nunca tinha estado com o delator. Em seguida, fotos em que Cid aparece ao lado de Costa foram divulgadas e o cearense se retratou dizendo que não havia mantido relações pessoais, mas sim, institucionais com o ex-diretor.

Logo após a publicação, à pedido dos advogados do governador, a revista foi tirada de circulação pela Justiça e todas as edições liberadas foram recolhidas. A decisão de Cid Gomes ganhou destaque e foi criticada nacionalmente, por ter sido interpretada como censura à imprensa.

Na quarta-feira (17), o ministro do Supremo Tribunal Federal Luis Roberto Barroso cassou a liminar que impedia a circulação revista e a edição do periódico voltou às bancas e ao site da IstoÉ.


A revista chega às bancas no próximo domingo, mas a matéria de capa já pode ser lida no site da revista IstoÉ: 
http://www.istoe.com.br/reportagens/383327_UNIDOS+PELO+PETROLEO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

Reservas: (88) 3647 1208.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Ciro x Professor: Sindicato dos Professores da UECE apresentaram Nota de Repúdio.


A denúncia sobre o comportamento agressivo de Ciro Gomes ganhou repercussão entre os demais professores da instituição de ensino que, por meio do Sindicato dos Professores da UECE - SINDUECE - apresentaram uma Nota de Repúdio por conta do ocorrido. A instituição promete acionar judicialmente o secretário da Saúde para que o caso seja esclarecido.

Leia o documento publicado pelo sindicato:

CIRO GOMES AGRIDE PROFESSOR FERNANDO ROBERTO DA FECLI/UECE

A SINDUECE tomou conhecimento dos lamentáveis acontecimentos que resultaram na agressão ao Professor Fernando Roberto, colega da Biologia da FECLI/UECE. em manifestação hoje, dia 19 de setembro de 2014, durante inauguração de escola profissionalizante em Iguatu pelo Secretário de Saúde do Estado, Sr. Ciro Gomes.

A SINDUECE, em nome de seus filiados, repudia profundamente a atitude do Sr. Ciro Gomes e deplora um governo que mantém um homem com este perfil de desequilíbrio à frente dos negócios de Estado, e declara o que se segue.

Desde ontem, dia 18, a categoria docente da UECE está em greve, conforme decisão de assembleia geral. Neste contexto, a comunidade acadêmica da FECLI resolveu se dirigir ao Governador Cid Gomes para pleitear uma audiência com o mesmo, na busca de uma resposta positiva sobre a convocação de concurso para professor efetivo, tal como acordado por ocasião da suspensão da greve em janeiro último, e sobre a conclusão do prédio da FECLI.

A comunidade, contudo, foi recebida pela PM, restando a mesma manifestar seu repúdio através do sagrado e bem cearense recurso da vaia. Foi neste contexto que o Secretário de Saúde, Ciro Gomes, reagiu agredindo o colega. Reproduzimos, neste ponto, o relato do próprio Professor Fernando Roberto:

“Hoje aqui no Iguatu estava prevista a inauguração da Escola Profissionalizante. Nós, alunos e professores da UECE, fomos reivindicar a conclusão de nosso Campus e concurso para professor efetivo. Eu, outro professor e alguns alunos chegamos cedo e conseguimos entrar [no recinto do evento]. Todos os outros foram barrados (inclusive o diretor da FECLI, que estava com um convite). Na chegada do governador, os alunos puxaram uma vaia e nesse momento o Ciro virou e eu fui o primeiro que ele viu. Veio em minha direção enfurecido, me deu um soco na barriga e disse que se eu continuasse me prenderia. Depois passou o tempo inteiro olhando em minha direção e me chamando de fascista.”
O relato fala por si mesmo. O Sr. Ciro Gomes, gestor público, diante de uma manifestação legítima e usual nos conflitos sociais e políticos, passou à agressão física contra um cidadão, num delito previsto no Código Penal.

A atitude do Secretário corresponde fisicamente à atitude político-administrativa do Governo Cid Gomes que agride cotidianamente o serviço público e a Universidade pública, em particular, negando-lhe, como neste momento, o essencial à sua existência, o professor efetivo, sem o qual não há universidade.

Nossa categoria e nossa comunidade (e, esperamos, nossa Administração Superior) saberão responder politicamente à agressão do Secretário, aprofundando a luta em defesa do concurso para professor, da melhoria e ampliação física da instituição, hoje em condições de precariedade, como no próprio caso de Iguatu, mas também nos casos de Itapipoca, Crateús e Tauá, enfim, em defesa do ensino superior estadual público e gratuito.

Entretanto, embora confiemos nessa resposta altiva da comunidade, a SINDUECE acionará pelos meios judiciais o Sr. Ciro Gomes pela agressão a nosso professor, para que o Secretário não fique impune em face da agressão que cometeu.

FORTALECER A GREVE!
CONQUISTAR O CONCURSO PARA EFETIVO E AS DEMAIS REIVINDICAÇÕES!
TOTAL SOLIDARIEDADE AO COMPANHEIRO FERNANDO ROBERTO!

A Diretoria da SINDUECE

Ciro Gomes fala sobre agressão a professor: ‘bichim, tão tadim, né?’


Em depoimento ao blog de Alex Santana, realizada em Iguatu, o secretário da Saúde do Ceará Ciro Gomes negou qualquer conflito entre ele e o professor da UECE Fernando Rodrigues, conforme denúncia feita pelo docente. O caso teria acontecido na manhã desta quinta-feira (18), durante a inauguração da Escola de Educação Profissional Lucas Emmanuel Lima Pinheiro, onde os professores da UECE, que declaram greve na quarta-feira (17), realizaram uma manifestação.

Mais em: Ciro Gomes agride professor em Iguatu.

Com ironia, ele disse não ter visto onde o professor se sentiu agredido e que participou do evento sem ter se envolvido com ninguém. Líder do PROS, o secretário aproveitou o momento para alfinetar os antigos aliados Tasso Jereissati (PSDB) e Eunício Oliveira (PMDB).

Ciro também comentou a crise entre seu irmão Cid Gomes (PROS) e a revista Istoé, que teve sua edição censurada pela Justiça, a pedido do governador, por publicar uma reportagem em que ele é citado entre os envolvidos no esquema de fraude em contratos da Petrobras. O secretário insinuou que a matéria teria sido encomendada pelo senador Eunício, adversário político dos irmãos Ferreira Gomes na disputa ao Governo do Estado.


Veja vídeo:



Via Ceará News7